Um mundo de coisas indígenas (22/4)

(see english below)

Ontem já havíamos visto uma loja que chama atenção em Alter do Chão pela fachada cheia de plantas e com paredes feitas de garrafas de vidro. Hoje entramos na Araribá e vimos que ela é mais que isso, possui muito material e parece ser uma forte referência de cultura indígena em escala mundial. O dono viaja para as mais diversas aldeias e comunidades indígenas, especialmente brasileiras, encontrando e escolhendo objetos que coloca à venda aqui.

Muitos dos objetos que temos encontrado têm relação com a cultura indígena, e aqui pudemos ver alguns de seus mais lindos exemplares. Há cuias decoradas, cestos de fibras naturais, vimos bolsas e toalhas de crochê de palha, inúmeros tipos de joias e muito trabalho em madeira. Há redes de materiais naturais e balaios presos por todo o teto da loja, os objetos estão misturados em vez de enfileirados, e ouvem-se músicas indígenas cujos CDS também estão à venda: tudo contribui para criar uma atmosfera irresistível. É realmente impressionante a quantidade e qualidade do que se reuniu aqui. Vale muito a visita.

Mais tarde, à noite, vimos na praça uma discussão local sobre Belo Monte – a polêmica usina hidrelétrica que está sendo construída aqui perto, em Altamira. Duas garotas inglesas que filmaram pessoas de Altamira dando sua opinião sobre a usina estavam projetando os vídeos na praça central e pretendem divulgá-los fora do país. Esse assunto já apareceu algumas vezes em conversas durante a viagem, mas foi a primeira vez que vimos uma discussão pública.

 

Yesterday we saw a shop that calls the attention because of the plants on its facade and the walls made with glass bottles. Today we entered Araribá and we noticed that this shop is possibly a world reference on indigenous culture. The owner travels to far away aldeias and communities in order to find and choose the objects he sells here.

Many of the objects we are finding in our journey have a relationship with the indigenous culture, and at Araribá we could find beautifull exemples.There are decorated bowls, baskets made out of natural fibers, straw crocheted into bags and towells, many kinds of natural jewelry and wood works. There are hammocks and baskets made out of natural materials hanging from all over the ceiling, the objects are mixed instead of being aligned, and you listen to indigenous songs, also for sale in CDS they have: everything contributes to create an irresistable athmosphere. Its really impressive the amount and quality of the objects. It’s definetly worth a visit.

Later on at night, we saw in the main square of Alter do Chão a local discussion about Belo Monte – a polemic water energy usine that is being built in a city very close by, Altamira. Two english girls have filmes people at Altamira giving their opinion about the usine and they were showing the videos that they intend to spread out of Brazil. This subject has appeared in other conversations during our trip, but this was the first time we saw a public discussion on the theme.

Advertisements
1 comment
  1. Fernanda Funes said:

    Universo indigena maravilha !!!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: